Trabalho na Europa

País

Islândia - trabalho

País: Islândia
Línguas oficiais: islandês
Forma de governo: república parlamentar
População: 321 900
Capital: Reiquiavique
Moeda: coroa islandesa (ISK)
Membro da UE ou do EEE: EEE
Código telefónico: +354
Código Internet: .is

Por que neste país?

A Islândia é uma ilha cheia de maravilhosas paisagens naturais, com glaciares, géisers, vulcões de magma e vulcões de lama. Não há que ter medo dos vikings: os islandeses são afáveis, pacientes e bem humorados, e a sua capital, Reiquiavique, possui a segurança e o encanto de uma aldeia.

Em termos históricos, a taxa de desemprego islandesa sempre foi muito baixa, cerca de 1%. Porém, com a crise financeira e o colapso dos bancos, em 2008, subiu para mais de 8%, embora tenha vindo a descer desde então, tanto mais que a crise económica provocou um aumento do turismo, devido à desvalorização da moeda. Por seu turno, o crescimento registado no setor de desenvolvimento de software suscitou a procura de informáticos experientes e também há falta de soldadores, serralheiros e outros trabalhadores qualificados no setor metalúrgico. O país necessita igualmente de médicos, em virtude de muitos médicos islandeses terem ido trabalhar para o estrangeiro.

Procurar trabalho

Para um candidato a emprego que não fale islandês, a melhor maneira de procurar trabalho será através da rede EURES. Algumas ofertas de emprego exigem o preenchimento de um formulário de candidatura em linha, no endereço http://www.vinnumalastofnun.is/eures , mas em relação a outras poderá enviar a candidatura diretamente para o empregador. O formulário deve ser preenchido da forma mais minuciosa possível.

O candidato também se poderá inscrever gratuitamente em uma ou mais agências de emprego privadas (ráðningarþjónus-tur), ler os anúncios de emprego publicados nos jornais locais ou até publicar o seu próprio anúncio.

Além disso, tem a possibilidade de contactar a delegação local do seu sindicato (stéttarfélag) para obter informações sobre as tendências correntes em matéria de emprego na sua área profissional e aconselhar-se quanto à forma como deve iniciar a sua procura de trabalho.

Importa não esquecer, também, que a informação transmitida boca a boca é um instrumento muito eficaz numa pequena comunidade como a Islândia, e são muitos os candidatos que encontram trabalho através de contactos familiares ou outros.

Dicas para a apresentação das candidaturas

A modalidade de candidatura mais comum é o envio do curriculum vitae acompanhado por uma carta de apresentação. O CV, com duas páginas no máximo, deve ser tão objetivo e atual quanto possível, e na carta o candidato deve explanar as razões por que está interessado no lugar em causa e por que considera ser a pessoa certa para o ocupar.

Se apresentar uma candidatura espontânea, procure entregá-la em mão à pessoa que poderá vir a dirigir o processo de seleção, pois produzirá, assim, uma melhor impressão.

É habitual incluir uma fotografia no CV?

Sim, é muito frequente incluir fotografias no CV. Escolha bem a fotografia, na qual deverá estar sozinho contra um fundo neutro. As fotografias tiradas na praia ou na festa do fim de semana anterior não são uma boa ideia.

Há preferência por candidaturas manuscritas?

De modo algum: geralmente, considera-se que uma carta de apresentação manuscrita é pouco profissional.

O CV modelo Europass é amplamente utilizado e aceite?

Os modelos tipo Europass tendem a ser longos e muito pormenorizados. É mais importante que o CV seja sucinto e claro, com não mais de duas páginas.

Contactos telefónicos

Se apresentar a sua candidatura por telefone, tenha presente que os islandeses não são muito formais, mas, de qualquer modo, deve começar por dar o seu nome e enunciar o motivo do telefonema. Evite falar durante demasiado tempo e não interrompa o seu interlocutor.

Tenho de enviar diplomas juntamente com a minha candidatura?

O diploma do candidato deverá ter sido previamente avaliado para efeitos de determinação das equivalências e de reconhecimento na Islândia. Este procedimento não só facilita a avaliação dos conhecimentos e competências por parte dos empregadores, como também pode ajudar os candidatos a conseguirem um emprego melhor e mais bem remunerado.

O princípio geral que vigora no âmbito do EEE é o de que as qualificações válidas para a prática de uma dada profissão num dos países são igualmente válidas para o mesmo efeito nos restantes. As pós-graduações e graduações de nível superior, as graduações do 1.º ciclo do ensino superior (3 anos) e a formação profissional que exija a conclusão do ensino secundário devem ser reconhecidas em todo o EEE.

O Ministério da Educação, Ciência e Cultura é responsável pela coordenação dos processos de reconhecimento. Contudo, os outros ministérios tratam dos reconhecimentos respeitantes aos domínios que tutelam, por exemplo, o reconhecimento das habilitações de médicos e outros profissionais de saúde compete ao Ministério da Saúde. Para obter informações sobre o assunto, deve começar por consultar o sítio web http://www.menntagatt.is , que constitui o ponto de referência nacional em matéria de avaliação e reconhecimento de qualificações.

Devo apresentar referências, cartas de recomendação ou o certificado de registo criminal?

Indique no seu CV pelo menos duas pessoas, por exemplo um antigo empregador ou professor, que possam dar boas referências a seu respeito. Peça-lhes previamente autorização para o fazer. Devem ser pessoas que conheçam o seu modo de trabalhar e possam confirmar que possui as competências e a atitude perante o trabalho que alega ter.

As cartas de recomendação podem ser uma boa ajuda, mas na maioria dos casos os empregadores preferem ser eles próprios a procurar referências. Ainda assim, mencione essas cartas no CV e esteja pronto a apresentá-las por ocasião da entrevista.

Alguns empregadores exigem a confirmação, por parte das autoridades do país de origem, da inexistência de cadastro criminal do candidato, especialmente quando estão em causa serviços de vigilância ou limpeza, que obrigam a que o trabalhador permaneça sozinho durante longos períodos, muitas vezes em casas particulares ou escritórios.

Período habitual entre a publicação do anúncio de emprego e a entrada em funções

No caso dos lugares que exigem poucas qualificações, os candidatos começam, geralmente, a trabalhar no prazo de alguns dias ou de um mês, no máximo. Para os lugares muito especializados e qualifica-dos existe maior margem para negociação, sendo vulgar que esse período varie entre um e três meses.

Preparação para a entrevista

Antes de ir a uma entrevista, faça o seu trabalho de casa. Leia o que puder sobre a empresa na página web da mesma e prepare-se para qualquer pergunta que possam vir a fazer-lhe, como por exemplo: "Quais são os seus pontos fortes e os seus pontos fracos?"; "Como se descreveria enquanto trabalhador?"; ou "Por que razão se despediu do seu último emprego?". Mostre-se interessado em saber o mais possível sobre a empresa e o emprego oferecido.

Dicas sobre o que deve vestir

Opte por roupa informal e elegante ou vista-se de modo convencional. Evite adornos em excesso. No caso dos homens, a generalidade dos islandeses só considera aceitável o anel de noivado ou de casamento.

Quem estará presente?

Na entrevista poderão estar presentes, pela parte do empregador, entre uma e quatro pessoas. De um modo geral, quanto maior é o grau de especialização das funções a desempenhar maior é o número de entrevistadores.

Cumprimentamo-nos com um aperto de mão?

As pessoas cumprimentam-se sempre com um aperto de mão em ocasiões formais, como as entrevistas de emprego. Aperte a mão com firmeza e estabelecendo contacto visual. Um aperto de mão frouxo não é um começo auspicioso.

A entrevista obedece a um esquema rígido?

Uma entrevista normal dura entre 30 minutos e uma hora, não obedecendo a um esquema rígido. Seja tão franco quanto possível e não exagere nem minimize as suas competências. Seja educado e tente manter-se calmo.

Ao longo da entrevista, os empregadores vão procurando ficar a conhecê-lo realmente. Não se surpreenda se lhe fizerem perguntas sobre a sua vida pessoal. Normalmente, uma pequena parte da entrevista é dedicada a questões não profissionais, com o único objetivo de criar um ambiente mais descontraído. O emprega- dor já terá examinado, entretanto, o seu CV e ficado com uma ideia geral sobre a sua experiência. Aproveite a oportunidade para expor mais circunstanciada-mente as suas competências e as razões por que se considera o candidato indicado para o lugar. Tente convencê-lo, também, de que poderá contribuir para melhorar a qualidade da empresa e de que está disposto a trabalhar arduamente para o conseguir.

Quaisquer perguntas que faça sobre a natureza do trabalho a desenvolver serão bem acolhidas, mas, quanto ao salário, se o empregador não falar antes sobre esse assunto, espere até ter a certeza de que foi selecionado para o lugar.

Geralmente, no final da entrevista, o empregador indica o prazo previsto para o contacto seguinte com o candidato. Se não o fizer, o mais provável é que se tenha desinteressado da sua candidatura. Se nada lhe for comunicado até ao termo do prazo anunciado, o melhor será contactar o empregador e pedir-lhe uma resposta.

Embora seja sempre preferível apresentar- se pessoalmente, se não puder comparecer à entrevista, sugira que esta se realize através de conferência telefónica. A videoconferência é cada vez mais utilizada na Islândia.

Quando é que uma pergunta ultrapassa os limites?

Na Islândia, as leis contra a discriminação são muito rigorosas. Os empregadores podem perguntar se o candidato é casado ou se tem filhos, mas não lhe podem fazer perguntas sobre a sua orientação sexual, as suas opiniões políticas ou a sua eventual intenção de ter filhos. Se alguma destas últimas questões lhe for colocada, o melhor a fazer é chamar a atenção, educadamente, para o constrangimento que ela lhe provoca e para as dúvidas que tem sobre a sua legitimidade.

Negociação do salário e outras contrapartidas

O salário e a duração do contrato podem ser negociados na entrevista ou após a apresentação de uma oferta de trabalho. A legislação laboral islandesa determina que o contrato deve ser assinado até, o mais tardar, 2 meses após o início da prestação do trabalho. O valor do salário deve constar do contrato. A remuneração pode ser negociada em qualquer altura. O trabalhador tem direito a que o seu salário seja reexaminado anualmente em reunião com a entidade patronal.

Normalmente, a negociação incide sobre o montante da remuneração mensal, mas se a sua profissão o obriga frequentemente a fazer horas extraordinárias, é preferível negociar um valor por hora. O subsídio de férias e os prémios estão sujeitos a regulamentação rígida e, portanto, não têm de ser negociados.

Poderá haver um período experimental?

Os períodos experimentais não são, habitualmente, necessários porque é muito fácil contratar e despedir pessoas na Islândia e, no início da prestação de trabalho, o período de préaviso é muito curto. Os trabalhadores têm de ser remunerados por todos os dias de trabalho.

Qual a duração normal dos estágios?

Caso exista, o estágio tem entre 1 a 3 meses de duração. Se o empregador não tencionar pagar-lhe o período de estágio, deve recusar o emprego e denunciar o empregador à Direção de Inspeção do Trabalho ou a um sindicato.

O empregador reembolsar-me-á das despesas efetuadas para comparecer à entrevista?

É muito raro que isso aconteça, exceto nos casos dos lugares muito especializados e qualificados. A decisão nesta matéria cabe exclusivamente ao empregador.

Quando me comunicarão os resultados?

Os empregadores não gostam de contactar as pessoas para lhes comunicar que não foram selecionadas. Por conseguinte, talvez não seja má ideia contactámos 1 semana após o termo do prazo de candidatura, para saber qual o ponto da situação em relação ao preenchimento da vaga. Seja como for, deve partir do princípio de que, se 1 mês depois desse prazo ainda não lhe tiver sido comunicado que foi selecionado, é porque foi excluído.

Obtenção de resposta e seguimento da candidatura

É conveniente tomar a iniciativa de contactar o empregador a pedir uma resposta. Dará, assim, provas de estar interessado e de ser capaz de defender os seus direitos, quando é necessário.

Com que antecedência devo chegar à entrevista?

Os islandeses são muito pontuais, no que respeita ao trabalho, por isso é indispensável que chegue a horas à entrevista.

data da ultima modificação: 2014-11-21 21:32:07

© União Europeia

Study in Switzerland
MBA_Master_220.jpg

Study in Poland
Privacy Policy