Trabalho na Europa

País

Dinamarca - trabalho

País: Dinamarca
Línguas oficiais: dinamarquês
Forma de governo: monarquia constitucional
População: 5,6 milhões
Capital: Copenhaga
Moeda: coroa dinamarquesa (DKK)
Membro da UE ou do EEE: UE
Código telefónico: +45
Código Internet: .dk

Por que neste país?

Na Dinamarca, nunca se está a mais de uma hora de distância da costa e o país é conhecido como um dos mais felizes do planeta, sendo também famoso pela excelência do seu design e artesanato e pela eficiência dos seus serviços públicos. O fosso entre ricos e pobres é muito pequeno, facto que insere a maioria dos dinamarqueses numa próspera classe média.

O desemprego é inferior à média europeia e, apesar de a Dinamarca não ter escapado ao impacto da crise económica, os empregadores continuam a ter dificuldade em preencher algumas vagas, por exemplo de engenheiros mecânicos e informáticos, psicólogos, consultores de TI, criadores de software, farmaconomistas (peritos em produtos farmacêuticos) e outros.

Procurar trabalho

Os empregadores publicam as ofertas de emprego nos seus próprios sítios web ou no sítio weboficial http://jobnet.dk. As ofer­tas destinadas a candidatos estrangeiros também podem ser consultadas em http://www.workindenmark.dk, onde, por seu lado, os candidatos poderão colocar os respetivos CV. Em alguns casos, os empregado­res solicitam que as ofertas de emprego sejam publicadas em sítios web específi­cos ou contratam uma agência de recru­tamento para proceder à pré-seleção dos candidatos.

Dicas para a apresentação das candidaturas

Os procedimentos de candidatura são indi­cados no anúncio de emprego e devem ser respeitados.

Normalmente, o candidato contacta diretamente o empregador. Quando enviar uma candidatura (geralmente por via eletrónica), é muito importante que a adapte às especificidades do empregador em causa. Os contactos com o empregador devem ser sempre feitos na língua indicada no anún­cio de emprego. O candidato pode não pos­suir todas as qualificações requeridas, mas tem de falar a língua indicada na oferta de emprego. Os documentos da candidatura devem ser sempre redigidos pelo próprio candidato, que também deve fazer os con­tactos. Os documentos em língua estran­geira têm de ser autenticados.

Num processo de candidatura, lap­sos no nome e no endereço da empresa, erros nos documentos de candidatura, deslealdade para com antigos empregado­res e atrasos na chegada às entrevistas não são tolerados.

"O conselheiro EURES informou-me da possibilidade de fazer um curso de jar­dinagem na Dinamarca e de o conju­gar com um curso de dinamarquês e o trabalho numa exploração agrícola dinamarquesa. Achei que era uma opor­tunidade interessante, e uma forma de desenvolver novos conhecimentos e competências para a minha futura vida profissional. Uma experiência assim alarga os nossos horizontes, torna-nos mais independentes, aumenta a nossa autoconfiança e expande a nossa rede de contactos pessoais."

Sarunas, candidato a emprego da Lituânia

É habitual incluir uma fotografia no CV?

A inclusão de fotografias é opcional, mas está a popularizar-se.

Há preferência por candidaturas manuscritas?

Não, não apresente uma candidatura manuscrita.

O CV modelo Europass é amplamente utilizado e aceite?

Os curricula vitae modelo Europass não são populares entre os empregadores dinamarqueses, que esperam que os candidatos elaborem um CV personalizado e específico.

Contactos telefónicos

Se quiser apresentar uma candidatura espontânea, é conveniente telefonar para a empresa a fim de obter informações que lhe permitam torná-la mais específica. Os anúncios de emprego indicam a pessoa a contactar e a empresa está disponível para que a contacte antes de enviar a candidatura. Prepare bem as perguntas que pretende colocar para não ser recordado como um candidato que lhes fez perder tempo. Não faça perguntas sobre o salário, pois essa questão será tratada na entrevista.

Tenho de enviar diplomas juntamente com a minha candidatura?

Não, a menos que eles sejam especificamente pedidos no anúncio de emprego. Uma candidatura é composta por um curriculum vitae e uma carta de apresentação, salvo indicação em contrário.

Devo apresentar referências, cartas de recomendação ou o certificado de registo criminal?

A necessidade de referências depende do caso em concreto. As pessoas indica¬das serão contactadas se o empregador tiver algumas dúvidas ou se a vaga existente corresponder ao exercício de funções diretivas, académicas ou outras que exijam um elevado grau de profissionalismo. As referências podem ser dadas por antigos empregadores ou colegas (que, naturalmente, se devem ter declarado dispostos a fazê-lo em resposta a um eventual pedido do empregador).

Uma carta de recomendação poderá ser útil. Na verdade, uma boa recomendação ajuda sempre. Se o candidato pretende trabalhar com crianças ou idosos ou no setor financeiro, necessitará de um certificado de registo criminal.

Período habitual entre a publicação do anúncio de emprego e a entrada em funções

Pode variar, mas é de 1 a 2 meses, aproximadamente.

Preparação para a entrevista

A entrevista de emprego é um diálogo entre o candidato e os entrevistadores, pelo que esperam que ele intervenha ativamente e faça perguntas. Deve, por isso, prepará-las previamente e procurar informar-se sobre os valores e a missão da empresa. Também poderá ter de se sujeitar a testes psicológicos e práticos.

Dicas sobre o que deve vestir

Opte por um estilo de vestuário moderadamente conservador, nem demasiado vistoso, nem excessivamente descontraído. Use adornos discretos e evite piercings visíveis.

Quem estará presente?

O número de pessoas presentes na entre-vista pode variar entre uma e cinco. É importante estabelecer contacto visual com todas e tentar fazer com que se sintam incluídas. Por norma, a reunião não dura mais de 1 hora, sendo oferecido um café ou um chá ao candidato.

Cumprimentamo-nos com um aperto de mão?

Cumprimente com um aperto de mão todos os presentes, tanto à chegada como à despedida. O aperto de mão deve ser firme e acompanhado de contacto visual.

A entrevista obedece a um esquema rígido?

Aos empregadores interessa sobretudo a aptidão do candidato para satisfazer as qualificações exigidas.

A reunião obedece a um esquema especí­fico. No início, poderá falar-se por alguns minutos do tempo, dos meios utilizados pelos candidatos para chegar ao local da reunião ou de outro assunto do mesmo género. Em seguida, os responsáveis da empresa fazem uma pequena introdução e os candidatos têm a oportunidade de se apresentar e de colocar questões sobre as funções a desempenhar, o salário, as con­dições de trabalho, o contrato, as férias, as regalias suplementares, etc., no final da reunião.

A concluir, são dadas informações sobre os procedimentos seguintes. Em geral, o ambiente é franco e amigável, esperando-se que o candidato adote uma atitude condizente. Não se esqueça da importância do contacto visual.

A entrevista abordará sobretudo temas profissionais. As perguntas mais frequen­tes incidirão sobre os pontos fortes e fracos do candidato, bem como sobre os seus pla­nos para daí a 3 ou 5 anos. Não haverá per­guntas ardilosas. Incidentalmente, ou numa conversa mais descontraída que ocorra na fase final, também podem ser abordados assuntos não profissionais, por exemplo, relacionados com animais de estimação, filhos ou desporto.

Quando é que uma pergunta ultrapassa os limites?

Na Dinamarca, em conformidade com a legislação da União Europeia, existem leis contra a discriminação em função do sexo, idade, deficiência, raça, religião e opiniões políticas. O candidato não é obrigado a responder a todas as perguntas. Por exemplo, a orientação sexual e os planos respeitantes ao número de filhos são considerados assuntos de natureza estritamente privada.

Negociação do salário e outras contrapartidas

Existem contratos-tipo de trabalho, mas a empresa pode usar um contrato próprio. Para ter a certeza de que não há falhas no seu contrato individual, compare-o com o contrato-tipo aplicável, que pode ser adqui­rido em qualquer livraria.

Geralmente, o salário ou o horário de traba­lho são negociáveis, assim como eventuais regalias suplementares adequadas ao nível do lugar em causa. A remuneração é paga à hora, à semana ou ao mês, mas raramente é fixada a nível anual. O subsídio de férias é regulado por lei. Se existir algum sistema de atribuição de prémios, deve ser descrito separadamente.

Embora a respetiva concessão dependa do nível do lugar em causa, é sempre possível negociar regalias complementares. Tele­fone, jornais, viatura e acesso à Internet gratuitos são algumas das mais comuns. A sua negociação é feita com o responsá­vel da empresa ou com o departamento de recursos humanos.

Poderá haver um período experimental?

Não é habitual, salvo no caso de um pequeno número de profissões, mas o candidato pode recusar.

Qual a duração normal dos estágios?

Normalmente, o estágio dura 3 meses.

O empregador reembolsar-me-á das despesas efetuadas para comparecer à entrevista?

As despesas de viagem efetuadas para comparecer à entrevista raramente são reembolsadas.

Quando me comunicarão os resultados?

O prazo pode variar, mas normalmente terá uma resposta do empregador, no máximo, uma semana após a entrevista. Se houver outros candidatos com qualificações idênticas às suas, poderá ser chamado para uma segunda entrevista.

Obtenção de resposta e seguimento da candidatura

É muito provável que haja novos telefonemas ou reuniões de avaliação com o objetivo de apurar as áreas em que o candidato poderá evoluir.

Com que antecedência devo chegar à entrevista?

Os dinamarqueses são muito pontuais. Não é necessário confirmar a presença, mas convém chegar com 5 ou 10 minutos de antecedência. Se o candidato faltar, só lhe será possível conseguir a marcação de nova reunião se a especificidade das suas qualificações convencer o empregador a aceitar o adiamento.

data da ultima modificação: 2014-11-21 21:21:13

© União Europeia

Study in Poland
Privacy Policy