O CV modelo Europass é amplamente utilizado e aceite?

País
Achado: 32
PaísO CV modelo Europass é amplamente utilizado e aceite?
Alemanha - trabalho

O CV modelo Europass é frequentemente utilizado, para além de outras fichas de dados pessoais. Em alguns casos ou profis­sões, é preferível criar um modelo persona­lizado, que o distinga dos outros CV.

"A colaboração entre a EURES Espanha e a ordem de engenheiros de Saragoça levou, em poucos meses, à colocação de mais de 20 engenheiros em peque­nas e médias empresas, na Alemanha e nos países nórdicos. Também prestámos apoio e informações práticas a esses tra­balhadores - e às empresas que os con­trataram -, para facilitar a transição." Teresa Vieitez Carrazoni, conselheira EURES, Espanha

Áustria - trabalho
Infelizmente não, por ser demasiado exaustivo.
Bélgica - trabalho
Há preferência pelo modelo nacional, mas o modelo Europass também é cada vez mais utilizado.
Bulgaria - trabalho
Sim, o modelo europeu de CV (Europass) é o preferido.
Chipre - trabalho
Sim, é bastante comum e de fácil compreensão para os empregadores cipriotas
Croácia - trabalho
Sim, é adequado enviar um CV Europass.
Dinamarca - trabalho
Os curricula vitae modelo Europass não são populares entre os empregadores dinamarqueses, que esperam que os candidatos elaborem um CV personalizado e específico.
Eslováquia - trabalho
Sim, é frequentemente utilizado.
Eslovénia - trabalho
Sim, principalmente nas candidaturas enviadas do estrangeiro.
Espanha - trabalho
O modelo de CV nacional é, geralmente, preferido.
Estónia - trabalho
O modelo de CV nacional é preferível.
Finlândia - trabalho
Raramente é utilizado em candidaturas nacionais, mas pode ser usado nas internacionais.
França - trabalho
Embora o CV modelo Europass não seja muito utilizado, a sua utilização está a aumentar, sobretudo nas grandes empresas. Os empregadores dão particular importância à secção relativa às competências linguísticas.
Grécia - trabalho
De um modo geral, um curriculum vitae grego não tem mais de duas páginas, mas o modelo Europass é conhecido e pode ser utilizado. O empregador está mais interessado nas competências, experiência profissional, personalidade e dedicação ao trabalho do candidato do que no modelo do CV. Verifique se este último é pormenorizado e está corretamente organizado, com todas as referências disponíveis e validadas, se necessário.
Hungria - trabalho
Não é muito utilizado, mas é amplamente aceite.
Irlanda - trabalho
O CV modelo Europass não é muito utilizado na Irlanda. Os empregadores irlandeses preferem, em regra, um modelo mais geral, embora também aceitem o Europass. Lembre-se que o CV tem de atrair a atenção do empregador. Elabore-o de forma específica, atendendo a que o objetivo é vender as suas competências ao seu potencial empregador
Islândia - trabalho
Os modelos tipo Europass tendem a ser longos e muito pormenorizados. É mais importante que o CV seja sucinto e claro, com não mais de duas páginas.
Itália - trabalho
Sim, o modelo Europass é preferível.

«Através da EURES, consegui um estágio num estúdio de design em Senigallia, no norte da Itália. Em simultâneo, frequentei um curso de italiano, que foi ótimo para conhecer pessoas de todo o mundo e fazer novos amigos fora do trabalho. A nível pessoal, a experiência foi muito valiosa, pois aprendi a gerir a vida quotidiana num país completamente diferente daquele onde nasci, mesmo tendo de falar uma nova língua. Profissionalmente, o estágio veio a ser muito útil porque, pouco tempo depois, consegui um emprego permanente como designer de produtos na Dinamarca.»
Ebba, candidata a emprego da Suécia
Letónia - trabalho
Sim, pode utilizar-se um modelo nacional ou europeu na elaboração do CV, desde que este seja específico, claro e corretamente redigido.
Listenstaine - trabalho
Não, é aconselhável utilizar o modelo de CV suíço, que pode ser obtido em: http://www.amsfl.li .
Lituânia - trabalho
O modelo nacional e o modelo Europass são igualmente utilizados, não havendo preferência por um ou por outro.
Luxemburgo - trabalho
Não, não é muito utilizado. Os empregadores consideram que o modelo Europass contém demasiada informação e é excessivamente longo.

O CV deve ter duas páginas, no máximo, e mencionar as habilitações académicas, os cursos de formação e a experiência profissional, as competências linguísticas, os conhecimentos de informática e as áreas de interesse.
Malta - trabalho
Sim, o modelo Europass-CV é aceite.
Noruega - trabalho
Não, não é.
Países Baixos - trabalho
Se tiver um CV modelo Europass que comprove a sua experiência profissional, os seus cursos de formação e as suas aptidões e competências, não hesite em apresentá-lo.
Polónia - trabalho
É aceite, mas não muito utilizado.
Portugal - trabalho
Os empregadores portugueses estão a habituar-se ao CV modelo Europass, embora seja possível que ainda prefiram o CV ao estilo português, com duas ou três páginas no máximo.
Reino Unido - trabalho
O CV modelo Europass não é normalmente reconhecido pelos empregadores britânicos. Vários sítios web fornecem conselhos úteis sobre a elaboração de curricula vitae para o mercado de trabalho do Reino Unido, nomeadamente o National Careers Service, o Prospects AC e o Monster.
República Checa - trabalho
Sim, é o modelo preferido.
Roménia - trabalho
O CV modelo Europass não é muito utilizado nem aceite, embora seja altamente recomendável. As pessoas com habilitações de nível superior tendem a utilizá-lo, mas as que têm menos habilitações preferem não o fazer, por considerarem que ele é muito longo e complexo.
Suécia - trabalho
Não é frequentemente utilizado, mas os empregadores aceitam-no.
Suíça - trabalho
Não, é totalmente desconhecido.
RSS desta lista

© União Europeia

Study in Poland
SWPS_eng_220_uni.jpg
Privacy Policy