Negociação do salário e outras contrapartidas

País
Achado: 32
PaísNegociação do salário e outras contrapartidas
Alemanha - trabalho

O âmbito das negociações do contrato depende, em grande medida, da empresa em causa e do setor de atividade em que está inserida. O salário pode ser negociado, exceto se houver uma tabela de remune­rações fixas que lhe seja aplicável. Quando começar a negociar, lembre-se de que, na Alemanha, o salário é expresso em valores à hora ou ao mês. Estas questões são nego­ciadas com a direção responsável (zustandige Fuhrungskraft).

O candidato poderá negociar, para além do salário, algumas regalias legalmente não obrigatórias, como sejam o subsídio de férias ou os prémios anuais, se não estive­rem previstos no contrato da empresa.

Áustria - trabalho
Na generalidade dos casos, é possível negociar o salário e as condições de trabalho, exceto no setor público, em que existem tabelas salariais fixas. As negociações são realizadas com o diretor do departamento a que o trabalhador ficará adstrito.

Por norma, o salário é expresso num valor mensal e inclui os subsídios de férias e de Natal. Quaisquer outras regalias suplementares terão de ser negociadas caso a caso. Em certos casos, os empregadores propõem um ordenado de base mínimo acrescido de uma parte variável em função do desempenho e dos resultados obtidos. Muitos trabalhadores de estabelecimentos em que os clientes costumam gratificar os empregados (pensões, hotéis e outros) recebem apenas o salário mínimo. As gratificações são consideradas um acréscimo do vencimento que depende do esforço do empregado.

Muitas vezes é possível negociar o número de horas de trabalho, a flexibilidade de horário e de local de trabalho, ou a adaptação do horário de trabalho ao horário de funcionamento dos jardins-de-infância (Kindergarten) e estabelecimentos congéneres.
Bélgica - trabalho
, a negociação do salário ocorre na fase final do processo de recrutamento, na altura em que é dada ao candidato a oportunidade de fazer perguntas. O termo «salário» designa geralmente a remuneração ilíquida por mês ou por hora, consoante o tipo de contrato. Não tenha receio de pedir esclarecimentos sobre o conteúdo exato do seu pacote salarial. É possível negociar a inclusão de um 13.° ou mesmo um 14.° mês de salário na remuneração anual. Esses pagamentos suplementares não estão previstos no salário anunciado. A negociação do salário só é possível no setor privado. As principais regalias complementares são as senhas de refeição, o seguro hospitalar, a viatura da empresa, o telemóvel, o computador e o reembolso dos custos das viagens diárias entre o domicílio e o local de trabalho. Nas negociações participam o candidato e um representante do departamento de recursos humanos.
Bulgaria - trabalho

Os candidatos não devem mencionar a questão do salário durante a entrevista. É comum aguardar que o empregador faça uma proposta de trabalho antes de nego­ciar o salário e outras contrapartidas. O pagamento pode ser efetuado à hora ou ao mês, consoante o contrato. O montante da remuneração é determinado pelo tempo de trabalho ou pelos dados relativos à produ­ção. O salário correspondente a cada uni­dade (quota de produção) é negociado entre o trabalhador e o empregador, mas não pode ser inferior ao estipulado na con­venção coletiva de trabalho. As remunera­ções de alguns grupos profissionais estão sujeitas a limiares. Nos restantes casos, o montante da remuneração não deve ser inferior ao salário mínimo anualmente fixado pelo governo.

O salário é normalmente pago ao mês, embora em alguns casos possa ser sema­nal. O pagamento adiantado de parte do salário mensal, aproximadamente a meio do mês, é comum. Algumas empresas pri­vadas de grande dimensão pagam prémios de desempenho.

Não é habitual negociar outras contrapar­tidas. As contribuições para a segurança social, os seguros de saúde e os impos­tos são estabelecidos por lei e deduzidos do salário pelo empregador. Se este quiser oferecer regalias adicionais ou mais dias de férias, está autorizado a fazê-lo.

Chipre - trabalho
Em Chipre, as condições de trabalho são, normalmente, fixadas por instrumentos de regulamentação coletiva. Convém, pois, que o candidato se informe sobre as condições aplicáveis ao seu caso. Contudo, as convenções coletivas não são juridicamente vinculativas e, em muitos casos, os salários e outras regalias são negociadas entre o empregador e o trabalhador.

Os empregadores são obrigados a informar o novo empregado, por escrito e no prazo de 1 mês a contar da data de admissão, sobre as condições de trabalho garantidas. O documento deve fazer referência, nomeadamente, ao salário, ao número de horas de trabalho e às férias anuais.
Croácia - trabalho
É frequente os empregadores fixarem os salários e outras contrapartidas, havendo pouca margem para negociação. Em todo o caso, só é possível negociar os salários no setor privado, uma vez que no setor público são fixados por lei. Os salários são expressos em termos de um valor mensal e devem incluir o pagamento das férias. Os prémios e outras regalias são negociados à parte.
Dinamarca - trabalho

Existem contratos-tipo de trabalho, mas a empresa pode usar um contrato próprio. Para ter a certeza de que não há falhas no seu contrato individual, compare-o com o contrato-tipo aplicável, que pode ser adqui­rido em qualquer livraria.

Geralmente, o salário ou o horário de traba­lho são negociáveis, assim como eventuais regalias suplementares adequadas ao nível do lugar em causa. A remuneração é paga à hora, à semana ou ao mês, mas raramente é fixada a nível anual. O subsídio de férias é regulado por lei. Se existir algum sistema de atribuição de prémios, deve ser descrito separadamente.

Embora a respetiva concessão dependa do nível do lugar em causa, é sempre possível negociar regalias complementares. Tele­fone, jornais, viatura e acesso à Internet gratuitos são algumas das mais comuns. A sua negociação é feita com o responsá­vel da empresa ou com o departamento de recursos humanos.

Eslováquia - trabalho
O candidato não tem muito espaço de manobra para negociar o contrato e, na maioria dos casos, cabe-lhe apenas concordar ou discordar. Entre as regalias suplementares mais comuns contam-se, por exemplo, o alojamento, a viatura da empresa e o telemóvel.
Eslovénia - trabalho
Há uma regra não escrita que diz que, na entrevista de trabalho, cabe ao empregador, e não ao candidato, abordar o assunto do salário em primeiro lugar. Depois disso, este pode indicar qual a amplitude salarial (valor mínimo e máximo) que considera adequada ao seu caso.

O salário compreende a remuneração-base, a remuneração pelo desempenho no trabalho e as remunerações suplementares. O salário é expresso em valores mensais. O subsídio de férias e os prémios anuais fazem parte das remunerações referidas.

As entidades empregadoras são obrigadas a inscrever os seus trabalhadores num sistema obrigatório de reforma, invalidez, saúde e seguro de desemprego, no prazo de 8 dias a contar da data de início do trabalho. São igualmente obrigadas a entregar uma fotocópia do registo ao funcionário no prazo de 15 dias após o início de funções.
Espanha - trabalho
Os salários são normalmente expressos em termos de valores mensais ou de um valor total anual. Se o valor não for indicado no anúncio de emprego, peça informações a um sindicato (independentemente de ser ou não filiado) sobre o salário legalmente previsto e o que seria normal para a função em causa. Em Espanha existe um salário mínimo nacional, mas os contratos coletivos variam bastante de região para região.

Se o empregador lhe perguntar quanto pretende ganhar, avance dois valores ou deixe em aberto a possibilidade de negociação: por exemplo, um salário inicial de X EUR e um aumento previamente combinado após ter tido oportunidade de demonstrar as suas competências.
Estónia - trabalho
As negociações relativas ao contrato podem versar sobre a data de início do trabalho, o salário e os prémios. No caso do salário, a possibilidade de o negociar depende do lugar e da empresa. Em geral, a remuneração é expressa em valores mensais. O subsídio de férias está incluído no salário e é regulamentado pela lei estónia. Os prémios anuais não podem ser negociados à parte. Poderão ser oferecidas regalias complementares, como a utilização de uma viatura da empresa, o reembolso das despesas de deslocação e os custos da frequência de um ginásio ou piscina, mas não é frequente que tal aconteça. No setor privado, estas regalias são negociáveis e a sua negociação é feita com o superior hierárquico direto.
Finlândia - trabalho
Na Finlândia, os contratos baseiam-se em contratos coletivos de trabalho. Quase todos os setores têm um contrato coletivo próprio. Porém, às vezes é possível negociar o salário. Neste caso, esse facto é mencionado no anúncio de emprego e geralmente solicita-se aos candidatos que indiquem as suas expectativas na candidatura.

Habitualmente, o salário é expresso em valores à hora ou ao mês. O subsídio de férias é obrigatório por lei. Em alguns setores ou empresas (sobretudo em cargos executivos), é possível negociar os prémios anuais, que estarão provavelmente associados ao desempenho.

Na Finlândia, as regalias suplementares são muito comuns e incluem senhas de refeição, senhas de desconto para a prática de desportos e para atividades culturais, e cuidados de saúde ocupacional. Em algumas empresas, também é bastante comum fornecer uma viatura com contrato de locação financeira. Algumas das regalias são negociáveis. Pergunte ao seu novo superior; este pode indicar-lhe a pessoa certa com quem negociar essas regalias complementares.
França - trabalho
Em regra, as informações relativas aos salários são publicadas no anúncio de emprego, sendo a remuneração expressa em valores líquidos mensais ou anuais. Contudo, ela poderá ser negociada no final do processo de recrutamento. O anúncio também pode referir que o salário é negociável e, nesse caso, o candidato terá de demonstrar que merece ganhar mais do que salário de base proposto. O contrato de trabalho deve ser assinado antes de o candidato selecionado assumir funções ou, o mais tardar, no dia em que começar a trabalhar.
Grécia - trabalho
Os contratos-tipo incluem cláusulas relativas à duração do trabalho, à remuneração normal e ao subsídio de férias. É aconselhá-vel deixar que seja o empregador a abordar o assunto. Depois, o candidato pode negociar o salário e os eventuais prémios anuais separadamente. Caso existam benefícios adicionais, estes poderão consistir em pagamentos suplementares no final do ano, assistência médica complementar, utilização de viatura da empresa e comissões. Estas questões são negociadas com o departamento de recursos humanos ou com um seu responsável.
Hungria - trabalho
Normalmente, a negociação do contrato ocorre no final do processo de candidatura. O candidato pode negociar o salário, mas deve fundamentar as suas pretensões. Importa, também, ter em conta que, em alguns setores (funcionalismo público, por exemplo), os vencimentos são fixados por lei. O salário é expresso num valor mensal e as férias devem ser objeto de uma cláusula específica do contrato (o período mínimo é fixado por lei). Em princípio, os prémios são negociados em separado, mas se representarem uma parte significativa do rendimento total devem ficar igualmente estipulados no contrato. A remuneração e as regalias complementares são tratadas com o diretor.
Irlanda - trabalho

Geralmente, o pacote de remunerações é definido antes do início do processo. Não haverá, portanto, grande margem para negociações sobre questões financeiras ou outras.

A remuneração pode ser expressa em valo­res à hora, à semana, ao mês ou ao ano.

Normalmente, o salário dos profissio­nais mais qualificados e dos trabalhado­res administrativos é expresso em valores anuais, ao passo que o dos trabalhadores da construção, do comércio retalhista e da hotelaria e restauração é expresso em valo­res à hora.

As férias, regalias e outras prestações não pecuniárias são incluídas nas remunera­ções. Em regra, é o responsável ou gestor do pessoal quem negoceia o salário e even­tuais regalias suplementares.
Islândia - trabalho
O salário e a duração do contrato podem ser negociados na entrevista ou após a apresentação de uma oferta de trabalho. A legislação laboral islandesa determina que o contrato deve ser assinado até, o mais tardar, 2 meses após o início da prestação do trabalho. O valor do salário deve constar do contrato. A remuneração pode ser negociada em qualquer altura. O trabalhador tem direito a que o seu salário seja reexaminado anualmente em reunião com a entidade patronal.

Normalmente, a negociação incide sobre o montante da remuneração mensal, mas se a sua profissão o obriga frequentemente a fazer horas extraordinárias, é preferível negociar um valor por hora. O subsídio de férias e os prémios estão sujeitos a regulamentação rígida e, portanto, não têm de ser negociados.
Itália - trabalho
Em Itália, as condições financeiras e contratuais não estão sujeitas a negociação. Se aceitar o emprego, irá assinar um contrato de que constam todas as informações necessárias e uma descrição das condições financeiras e de trabalho. A negociação de algumas contrapartidas, como por exemplo o salário, as férias ou os prémios, depende do empregador e das convenções coletivas de trabalho de âmbito nacional (CCNL).

Entre as regalias complementares mais comuns em Itália contam-se as senhas de refeição e o telemóvel ou a viatura da empresa. As remunerações e as regalias complementares são negociadas com o departamento de recursos humanos.
Letónia - trabalho

Antes de assinarem o contrato, é necessá­rio que o trabalhador e o empregador discu­tam as condições de trabalho: o montante do salário e o número de salários por ano, o número de horas de trabalho e as horas extraordinárias, o período de estágio e as regalias complementares, entre outras. Na Letónia, o salário é, em regra, pago mensal­mente, ou de duas em duas semanas.

Tenha em atenção que só os contratos de trabalho por escrito garantem uma proteção efetiva dos direitos dos trabalhadores e dos empregadores. Se o contrato for verbal, a relação de trabalho será exclusivamente regulada pela lei civil, o que significa que o trabalhador pode ficar sem direito aos benefícios da segurança social.

Aos direitos garantidos por lei poderão acrescer regalias complementares como, por exemplo, um seguro de saúde, subsí­dios de deslocação ou de subsistência, ou o acesso a ginásios. As gratificações depen­dem inteiramente da vontade e dos meios do empregador.

Listenstaine - trabalho
O candidato pode negociar as suas contrapartidas. Por norma, as negociações são conduzidas, do lado do empregador, pelo responsável pelo pessoal. Será conveniente contactar antes um sindicato para se informar sobre os salários normalmente pagos nessas funções. Habitualmente, o salário é expresso em valores mensais ou anuais e inclui o subsídio de férias, mas não os prémios (pelo menos no salário fixo). Entre as regalias complementares mais comuns contam-se as senhas de refeição, a viatura da empresa, o telemóvel, as senhas para a prática de desportos, o refeitório da empresa e o computador portátil.
Lituânia - trabalho
Geralmente, os empregadores perguntam qual o salário pretendido, que, por norma, é expresso em valores mensais. Os salários são negociados com o empregador ou com o responsável pelo pessoal. O subsídio de férias fica estipulado no contrato e é regulado de forma estrita pela legislação laboral.
Luxemburgo - trabalho
Em algumas empresas, é possível negociar as contrapartidas financeiras, mas não naquelas em que as remunerações são fixadas por tabela ou reguladas por contratos coletivos de trabalho subscritos pelos empregadores.

A remuneração dos empregados de escritório e dos responsáveis por cargos administrativos ou de direção é expressa em valores mensais, enquanto os salários dos operários são expressos em valores à hora. A atribuição do subsídio de férias não obedece a uma regra comum e os prémios anuais variam bastante consoante a empresa e o setor. Em alguns casos, estão regulados nos contratos coletivos aplicáveis.

Estabeleça para si próprio o salário que, no seu entender, recompensa realmente as suas capacidades e tente convencer o empregador da razoabilidade dos seus argumentos. Para tanto, terá de provar o valor acrescentado que lhe poderá proporcionar, se for contratado. Não é forçoso referir valores concretos quando o interrogarem sobre as suas expectativas relativamente ao montante do salário. Informe-se previamente sobre as remunerações praticadas no setor ou na empresa. A remuneração pode consistir num misto de prestações pecuniárias e regalias complementares.

Para definir a sua posição negocial, ser-lhe muito útil procurar informação nas revistas especializadas em recursos humanos ou junto de pessoas que exerçam funções homólogas noutras empresas.
Malta - trabalho
O salário, normalmente expresso num valor semanal ou mensal, poderá ser negociado, principalmente se o candidato possuir grande experiência nas funções a desempenhar. O subsídio de férias e os prémios anuais estão incluídos no valor da remuneração proposta.

O salário e as regalias complementares são negociados com o diretor de recursos humanos, se se tratar de uma grande empresa, ou com o próprio empregador, nos restantes casos.

Se o candidato for admitido, a empresa é legalmente obrigada a informar as autoridades locais sobre a sua contratação logo no primeiro dia de trabalho, mediante envio de um formulário próprio para o efeito à Employment and Training Corporation. O formulário deve ser assinado pelo candidato, que se deve certificar de que o empregador o envia no dia da sua entrada em funções
Noruega - trabalho
Geralmente, o valor do salário é determinado ao mês, mas no caso dos trabalhos sazonais pode ser expresso à hora. Muitas vezes, nada há a negociar, porque existem contratos de trabalho normalizados. Em todo o caso, convém informar-se junto do sindicato do setor sobre os salários normalmente auferidos para ficar com uma ideia daquilo com que pode contar. Por norma, a negociação do seu salário terá lugar depois de o lugar lhe ser oferecido.

O subsídio de férias é regulado por lei e está incluído no salário. Os sindicatos negoceiam os salários e as regalias suplementares a nível nacional. Ao nível da empresa, é o delegado sindical que participa nas negociações, mas apenas em representação dos trabalhadores sindicalizados.
Países Baixos - trabalho
Se o lugar lhe for atribuído, o candidato poderá negociar o salário e o período de estágio. Se tiver sido contratado através de uma empresa de intermediação, é provável que seja ela a negociar a sua proposta de remuneração e as restantes condições e regalias. Nos Países Baixos, tanto o salário como as regalias suplementares podem ser negociados. Pense duas vezes sobre a sua proposta de salário e certifique-se de que é compatível com o lugar.

Aos diferentes tipos de trabalho correspondem diferentes grelhas salariais, que estão divididas nas chamadas periodicidades. A grelha e a periodicidade aplicáveis à sua remuneração são determinadas pela sua experiência profissional. Tudo isto pode ser negociado. Lembre-se de que o trabalho de voluntariado conta como experiência profissional. As condições de trabalho de muitas profissões e na maioria das empresas de maior dimensão são reguladas por contratos coletivos de trabalho. Há um salário mínimo para os mais jovens, até aos 23 anos de idade, e um salário mínimo para os que ultrapassaram essa idade. As remunerações inferiores a esses salários são ilegais. A remuneração é expressa em valores mensais.

O direito a férias e a fórmula de cálculo do subsídio de férias são regulados por lei. O número de dias de férias a que tem direito pode aumentar em função da sua idade ou do contrato coletivo de trabalho aplicável. Os prémios podem ser negociados quando se iniciam funções e por ocasião da sua revisão anual. Alguns contratos coletivos de trabalho incluem compromissos quanto à participação nos lucros ou dividendos.

Para além da remuneração e do subsídio de férias, é possível negociar outras condições, como a viatura da empresa, despesas de viagem, seguro de reforma ou despesas de formação, etc. Muitos acordos coletivos de trabalho preveem estas condições.
Polónia - trabalho
As condições salariais são reguladas por:
  • acordos coletivos ou de empresa (celebrados entre os empregadores e as organizações sindicais representadas na empresa);
  • regulamentos de trabalho relativos a salários (aplicáveis a empregadores com 20 ou mais empregados, não abrangidos por uma convenção coletiva de trabalho); e/ou
  • contratos de trabalho.
Em regra, os trabalhadores são remunerados por unidade de tempo de trabalho (hora, dia ou mês) ou, em alguns casos, por unidade de trabalho realizado (à peça). O trabalhador é pago pelo menos uma vez por mês, numa data previamente definida.

Os candidatos devem negociar o seu salário com o empregador antes de assinarem o contrato. Os prémios são calculados em função dos resultados alcançados. Durante o período de férias, o trabalhador continua a receber a remuneração normal estipulada no contrato de trabalho. As regalias suplementares podem incluir senhas de refeição, plano de pensões, seguro de saúde, gratificação de Natal, prémios por realizações e desempenho excecionais ou um incentivo ao desenvolvimento pessoal, sobretudo no setor privado.

No setor público, há pouca margem para negociação
Portugal - trabalho
Em geral, os salários são expressos em valores mensais. Lembre-se de que em Portugal um trabalhador em situação regular de emprego recebe anualmente 14 meses de salário (o que inclui o subsídio de férias e o subsídio de Natal, normalmente pagos em maio/junho e novembro/dezembro, respetivamente), embora esta situação esteja a conhecer alterações na sequência das medidas excecionais tomadas pelo governo. Se for contratado por uma empresa multinacional, poderá negociar um pacote salarial anual, que incluirá todos os subsídios e regalias suplementares.

Os prémios de produtividade anuais não são comuns, embora possa ser atribuída uma gratificação no fim do ano em função dos lucros. Só em empresas de média ougrande dimensão, na sua maioria multinacionais, os prémios anuais estão perfeitamente integrados nas respetivas políticas de remuneração.

Outras regalias possíveis nas grandes empresas são os seguros de saúde ou serviços médicos complementares e ainda o direito à utilização de telemóvel e viatura da empresa, principalmente no caso dos quadros dirigentes (gestores e diretores), embora esta prática esteja a diminuir.
Reino Unido - trabalho
É pouco provável que haja flexibilidade nas condições oferecidas pelo empregador, a menos que o anúncio de emprego refira o contrário. O melhor a fazer é confiar na oferta do empregador e só se candidatar a empregos cujo salário e condições de trabalho considere satisfatórios.

As negociações contratuais aplicam-se, principalmente, no caso de empregos altamente qualificados e muito bem pagos. O candidato terá de justificar as suas exigências em termos salariais, demonstrando que estas se coadunam com os valores de mercado e com as suas competências e experiência. Poderá pedir um aumento do salário depois de trabalhar para a empresa há algum tempo, caso entenda que ele está desajustado em relação ao de outros funcionários que desempenham funções semelhantes. Por norma, o salário é revisto todos os anos. O subsídio de férias está incluído e a remuneração é habitualmente expressa em salário bruto anual. No caso dos trabalhadores do setor da construção, como por exemplo carpinteiros e pedreiros, os salários são muitas vezes expressos em valores à hora.

As regalias suplementares mais comuns são as seguintes: condições de trabalho flexíveis; assistência médica privada ou seguro de saúde; viagens subsidiadas; coeficiente de correção de Londres (complementos contributivos se trabalhar na capital, em comparação com a média nacional); utilização de viatura da empresa; refeições subsidiadas no refeitório da empresa; subsídio para inscrição num ginásio ou clube; ou prémios salariais.
República Checa - trabalho

Se pretender negociar o salário, necessita de estar a par dos salários e remunera­ções normais, pois estes variam consoante o setor e o local. No setor privado, nomea­damente nas empresas de menor dimen­são, a margem de negociação dos salários é mais ampla, uma vez que nas grandes empresas, na administração pública ou estatal e nas instituições que dependem do orçamento do Estado, as remunera­ções são geralmente tabeladas. A remu­neração é expressa em valores à hora ou ao mês. A fixação de valores anuais só é vulgar em relação aos cargos de direção de nível superior.

As regras sobre o pagamento das férias estão definidas no Código do Trabalho, mas podem ser alteradas por um acordo de empresa celebrado entre o emprega­dor e os sindicatos nela representados. Em alguns casos, será possível negociar metas e prémios anuais, sobretudo nos contratos referentes a cargos de direção.

A título de gratificação em função dos resultados, podem ser oferecidas algumas regalias, como por exemplo descontos nos produtos da empresa, senhas de refeição, senhas para descontos em espetáculos ou piscinas, cupões de desconto e suplemen­tos dos subsídios de férias. Trata-se de uma matéria que pode ser negociada entre o empregador e os sindicatos.
Roménia - trabalho
O candidato pode negociar o salário, as regalias suplementares e outras contrapartidas da prestação de trabalho. A remuneração é expressa em valores mensais. O subsídio de férias e os prémios anuais são negociados à parte. Caso sejam oferecidas, as regalias suplementares mais comuns são as senhas de refeição e o subsídio de férias. Normalmente, as negociações estão a cargo do departamento de recursos humanos, que tem a noção exata do salário máximo que a empresa pode oferecer para um determinado lugar, mas a decisão final cabe à direção.
Suécia - trabalho
Quanto mais qualificado for o trabalho, maior é a margem de manobra para negociar o salário. Na Suécia, a maior parte das condições de trabalho está regulamentada em acordos coletivos, o que significa que não há muito espaço para negociações individuais, pelo menos nos empregos menos qualificados.

O salário mensal é o mais comum. Nos cargos de direção, é provável que haja margem de manobra para negociar regalias suplementares. Estas são negociadas com o departamento de recursos humanos.

O certificado de registo criminal é exigido no caso de empregos no setor público ou em que se trabalha com crianças. Essa exigência é referida no anúncio ou mencionada diretamente ao candidato pelo empregador.
Suíça - trabalho
Para negociar um bom contrato e condições de trabalho compensadoras, o candidato tem de estar informado sobre as práticas normais no setor e não ser exagerado nas suas exigências. Nos setores em que o salário é fixado a nível oficial, como nos setores público e semipúblico, não existe grande margem para negociação.

No caso de salários mínimos ou baixos, é possível negociar um aumento de cerca de 5%-10% em relação à proposta apresentada pela empresa. No caso dos cargos de direção, muitas vezes é o candidato quem faz a primeira proposta. Para apresentar uma proposta aceitável, é importante conhecer muito bem o setor e a prática da empresa. Lembre-se, ainda, de que na Suíça há grandes diferenças salariais entre as diversas regiões. Em muitas empresas o salário das mulheres é pelo menos 15% inferior ao dos homens.

O 13.º mês de salário é considerado como uma parte normal da remuneração. Algumas empresas oferecem mesmo um 14.º mês de salário. Os prémios só são atribuídos se o trabalhador atingir os seus objetivos.

Na Suíça, as remunerações são bastante elevadas, mas não incluem muitas regalias suplementares, exceto no caso dos quadros dirigentes. Entre as regalias mais comuns que o candidato poderá negociar contamse as seguintes: inclusão de parte do tempo de deslocação no tempo de trabalho, pagamento do seguro de saúde, aumento da contribuição do empregador para um fundo de pensões e viatura da empresa. Estas regalias podem ser negociadas sempre que não estejam previstas nos acordos coletivos celebrados entre as associações patronais e os sindicatos.
RSS desta lista

© União Europeia

Study in Poland
Privacy Policy