Trabalho na Europa

País

Portugal - trabalho

País: Portugal
Línguas oficiais: português
Forma de governo: república parlamentar
População: 10,5 milhões
Capital: Lisboa
Moeda: euro (EUR)
Membro da UE ou do EEE: UE
Código telefónico: +351
Código Internet: .pt

Por que neste país?

Portugal e as suas regiões autónomas (os Açores e a Madeira) são destinos turísticos populares. Para além do turismo, o setor dos serviços é a principal fonte de emprego. A indústria transformadora emprega menos de 20% da população ativa, sendo baseada em produtos tradicionais como os têxteis, o vestuário, o calçado, a cortiça, produtos em madeira, bebidas, cerâmica, vidro, conservas de peixe, metalurgia, refinação de petróleo e indústria química. O país reforçou a sua posição no setor automóvel da Europa e tem uma indústria de produção de moldes de craveira mundial.

Quase 4 em cada 10 jovens estão desempregados e os salários figuram entre os mais baixos per capita da União Europeia. Ainda assim, existe procura de trabalhadores em setores específicos, incluindo o trabalho sazonal no turismo e na agricultura, médicos, especialistas em TI e profissionais com competências linguísticas difíceis de encontrar em Portugal.

Procurar trabalho

As ofertas de emprego são publicadas nos jornais, nos centros de emprego, em agências de colocação privadas e associações profissionais ou sindicais, nos supermercados, municípios, paróquias e outros locais de acesso público, ou, cada vez mais, em bancos de emprego (públicos e privados) disponíveis em linha.

Alguns candidatos a emprego estão crescentemente a adotar uma abordagem proativa, apresentando candidaturas espontâneas, colocando anúncios, publicando o CV em sítios web e nos gabinetes de apoio ao emprego criados nas universidades, utilizando as redes sociais e até criando páginas web.

Num país onde mais de 90% das empresas são de pequena dimensão, os contactos pessoais continuam a ser um dos meios mais eficazes para tomar conhecimento de oportunidades de emprego e chegar a um potencial empregador. Se o interessado possuir uma rede de contactos sociais em Portugal não se acanhe em utilizá-la.

Dicas para a apresentação das candidaturas

Embora seja quase impossível satisfazer todos os requisitos enumerados em alguns anúncios de emprego, não deve desistir. Se satisfizer a maior parte deles, não hesite em candidatar-se, porque os empregadores portugueses podem ser flexíveis nesta matéria.

A maioria das candidaturas exigem uma carta de apresentação e um CV (embora a carta possa ser dispensável se não for expressamente solicitada). O CV deve ser elaborado em português, se possível, além de claro, curto (não mais de duas páginas) e adaptado a cada caso.

Quando se candidatar por correio eletrónico, inclua a carta de apresentação diretamente no corpo da mensagem. O único anexo deve ser o CV. Use parágrafos curtos e evite os símbolos e abreviaturas informais comummente utilizados nas mensagens de correio eletrónico e mensagens de telemóvel. Se apresentar a candidatura por via postal, a carta de apresentação deve ser datilografada e não exceder uma página de papel A4.

Respeite escrupulosamente os prazos, principalmente se estiver a candidatar-se a partir de outro país. Procure apresentar a sua candidatura o mais cedo possível, para participar no processo de seleção desde o princípio e ter a certeza de que a empresa não escolheu já um candidato.

As candidaturas espontâneas podem ser muito úteis. Muitas empresas portuguesas arquivam os CV que recebem e começam por analisá-los quando têm uma vaga, para poupar o tempo e os custos da colocação de anúncios.

É habitual incluir uma fotografia no CV?

A inclusão de uma fotografia profissional tipo passe no CV pode ser útil, embora não seja uma prática generalizada.

Há preferência por candidaturas manuscritas?

As candidaturas manuscritas têm vindo a cair em desuso nos últimos anos, embora alguns empregadores ainda as prefiram. Procure esclarecer este ponto num eventual contacto telefónico preliminar com a empresa.

O CV modelo Europass é amplamente utilizado e aceite?

Os empregadores portugueses estão a habituar-se ao CV modelo Europass, embora seja possível que ainda prefiram o CV ao estilo português, com duas ou três páginas no máximo.

Contactos telefónicos

Só deverá telefonar se o anúncio contiver uma indicação expressa nesse sentido. Se o fizer, procure falar em português, apresente- se claramente, pergunte com quem deve falar e trate essa pessoa pelo nome. Deixe o CV à mão e prepare-se para se apresentar e responder a perguntas. Prepare as suas próprias perguntas, que devem ser pertinentes, e anote as eventuais indicações que lhe sejam dadas em relação à entrevista. Se combinar uma entrevista, pergunte também que documentos deverá levar consigo.

Tenho de enviar diplomas juntamente com a minha candidatura?

Não, a menos que o anúncio dê instruções nesse sentido, mas leve uma cópia consigo para a entrevista. Se for selecionado, os documentos poderão ser solicitados aquando da formalização do contrato.

Quando levar cópias dos diplomas ou qualificações, seja seletivo e tenha em atenção que os empregadores portugueses podem não estar familiarizados com o sistema educativo e formativo do seu país de origem, nem sobre os respetivos conteúdos programáticos. Documentos como o Europass- Suplemento ao Diploma ou o Europass- Suplemento ao Certificado poderão ter maior utilidade.

Devo apresentar referências, cartas de recomendação ou o certificado de registo criminal?

Em Portugal, não é prática corrente pedir referências ou analisar cartas de recomendação, embora aos olhos de alguns empregadores possam constituir uma vantagem.

Período habitual entre a publicação do anúncio de emprego e a entrada em funções

Os anúncios de emprego podem declarar que o trabalho terá início «o mais brevemente possível», mas um processo de seleção demora, em média, 2 a 3 meses. Os empregos pouco qualificados ou vagas temporárias podem ser preenchidos em menos de uma semana.

Preparação para a entrevista

A entrevista não demora, normalmente, mais de 45 minutos. Os testes podem demorar meio dia, incluindo intervalos.

Dicas sobre o que deve vestir

Mesmo que não seja relevante para o lugar em causa, vista-se elegantemente para a ocasião por uma questão de profissionalismo e respeito por quem o vai entrevistar. Evite maquilhagem ou adornos em excesso, piercings, tatuagens visíveis ou penteados extravagantes.

Quem estará presente?

Geralmente, haverá um único entrevistador.

Cumprimentamo-nos com um aperto de mão?

Sim, deve cumprimentar com um aperto de mão se a tal for convidado.

A entrevista obedece a um esquema rígido?

Não existe um esquema rígido, embora o candidato possa contar com perguntas sobre os seguintes aspetos:

antecedentes pessoais (onde nasceu, onde estudou, a sua família, etc.);

o seu CV: antecedentes educacionais/profissionais, experiência profissional e outras atividades/passatempos;

a sua motivação em relação à empresa e ao lugar a que se candidata; e

as suas competências pessoais e sociais (perguntas abertas sobre o próprio candidato, as suas posições, qualidades e pontos fracos).

Numa segunda fase, o entrevistador fornecerá mais informações acerca da empresa e da função a desempenhar. Nessa altura, o candidato poderá fazer perguntas sobre os níveis de autonomia e responsabilidades, a necessidade de viajar, o horário de trabalho, o salário previsto, etc.

No final, o empregador dir-lhe-á, normalmente, quando o informarão da decisão tomada. O candidato deverá então agradecer-lhe a oportunidade de se terem encontrado.

Não é muito comum utilizar a videoconferência e o Skype nas entrevistas de recrutamento, mas é provável que venham a ser cada vez mais usados na seleção preliminar dos candidatos internacionais.

Quando é que uma pergunta ultrapassa os limites?

Assuntos como crenças religiosas, convicções políticas ou orientação sexual são considerados do foro estritamente privado. Existe, contudo, a perceção generalizada de que essas questões são abordadas com mais frequência (ainda que de forma subtil) do que noutros países europeus.

Negociação do salário e outras contrapartidas

Em geral, os salários são expressos em valores mensais. Lembre-se de que em Portugal um trabalhador em situação regular de emprego recebe anualmente 14 meses de salário (o que inclui o subsídio de férias e o subsídio de Natal, normalmente pagos em maio/junho e novembro/dezembro, respetivamente), embora esta situação esteja a conhecer alterações na sequência das medidas excecionais tomadas pelo governo. Se for contratado por uma empresa multinacional, poderá negociar um pacote salarial anual, que incluirá todos os subsídios e regalias suplementares.

Os prémios de produtividade anuais não são comuns, embora possa ser atribuída uma gratificação no fim do ano em função dos lucros. Só em empresas de média ougrande dimensão, na sua maioria multinacionais, os prémios anuais estão perfeitamente integrados nas respetivas políticas de remuneração.

Outras regalias possíveis nas grandes empresas são os seguros de saúde ou serviços médicos complementares e ainda o direito à utilização de telemóvel e viatura da empresa, principalmente no caso dos quadros dirigentes (gestores e diretores), embora esta prática esteja a diminuir.

Poderá haver um período experimental?

Essa prática está a generalizar-se, mas alguns empregadores preferem utilizar os contratos a curto prazo (por exemplo, 3 a 6 meses) para pôr o trabalhador à prova.

Qual a duração normal dos estágios?

O período legal de estágio varia em função da duração do contrato e da complexidade do lugar. No caso dos contratos de curto prazo, pode ser de 1 mês, no máximo. No caso dos contratos permanentes, é normalmente de 3 a 6 meses.

O empregador reembolsar-me-á das despesas efetuadas para comparecer à entrevista?

Não é comum que isso aconteça, a menos que o empregador necessite desesperadamente de uma determinada e muito específica competência, qualificação profissional ou perfil.

Quando me comunicarão os resultados?

Não é invulgar que uma candidatura não obtenha qualquer resposta. Se for entrevistado, pode perguntar quando poderá ser informado da decisão. Se o empregador não responder dentro do prazo indicado, um telefonema cortês a lembrá-lo pode servir para reiterar o seu interesse, mas não deve ser demasiado insistente.

Obtenção de resposta e seguimento da candidatura

Não é comum pedir uma resposta após a entrevista.

Com que antecedência devo chegar à entrevista?

Tente chegar com, pelo menos, 10 minutos de antecedência.

data da ultima modificação: 2014-11-24 09:04:50

© União Europeia

Study in Switzerland
BBA-Bachelor-220_1.jpg

Study in Poland
Privacy Policy